27 de set de 2016

Chandon Tinto 1991 - Uma surpresa agradável





Recentemente tive o prazer de tomar um Chandon 1991, vinho elaborado pela Chandon do Brasil, mas abandonado posteriormente visto a empresa decidir em focar seus esforços exclusivamente em espumantes. Em teoria até concordo com a política da empresa, mas provando o vinho ontem me pergunto por que não produzir os tintos também? O vinho estava exuberante, provando que alguns tintos nacionais envelhecem com galhardia e muita qualidade. Deste Chandon 1991 foram produzidas apenas 27 mil garrafas, e o vinho é um corte bordalês com porcentagem não conhecida de Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc. Sabemos que a safra ajudou pois 1991 foi por muitos considerada a melhor para os  vinhos brasileiros, mas o vinho era ótimo e ontem foi por muitos confundido com um bom Bordeaux.
Meu descritivo para o vinho: Granada, boa concentração de cor, halo de evolução intenso. Olfativamente complexo e maduro, com ameixa seca, couro, e tabaco. Na boca redondo, tripé perfeito, corpo médio, e final de boca com frutas evoluídas e terciários. Um vinho ainda vivo e prazeroso.
Fica aí a pergunta Chandon que tal voltar a produzir este vinho? Serei o primeiro cliente.


23 de set de 2016

Wine Day na Decanter Show de vinhos



Como jornalista especializado em vinhos gosto muito quando as importadoras apresentam seu portfólio ou parte dele, e a Decanter costuma fazer isto no seu habitual Wine Day. A prova  torna-se  uma grande oportunidade para que possamos rever alguns “ativos fixos” da casa em novas safras, assim como de conhecer as novidades, e os lançamentos. Nesta ocasião não foi diferente, uma grande variedade de estilos e produtores foram apresentados, dentre os quais escolhi os vinhos que mais me impressionaram para recomendar a vocês. Vamos a eles

Nekaj Damijan 2010 - Corte de Friulano com Savignonasse com 13,5 de álcool Dourado intenso, brilhante. Frutas amarelas azedas, pêssego, mineral,  casca de limão e  laranja. Boa acidez, encorpado, tânico, final de boca com suco de laranja. Vinho de personalidade e bem gastronômico – R$ - Não disponível no momento




Rocca delle Macie Moonlite 2014 -  Corte de Chardonnay Pinot Gris, Trebbiano e Vermentino com 12,5% de álcool - Palha brilhante ralo. Limpo, mineral, floral, cítrico e amêndoas. Ótima acidez,  fresco, fino corpo médio,  final muito agradavel R$ 109




Domaine Rolet L’Etoile Chardonnay 2011- Varietal 100% Chardonnay com 13% de álcool. – Palha verdeal, brilhante. Mineral, giz, floral, maça cozida, cítrico, e especiarias. Na boca, austero, alta acidez, mais rústico, seco, corpo médio, retrogosto mineral. Bom demais – R$ 197

Gulfi Valcanzjria 2014 – Corte de Carricante e Chardonnay com 13% de álcool  - Palha verdeal, brilhante. Olfativamente complexo com abacaxi fresco,  cítrico, mineral e floral lembrando lírio. Na boca. ótima acidez, ligeira tanicidade , fresco e suculento. – R$ 170

Domaine Rolet Arbois Pulsard Viellies Vignes 2011 -  Varietal 100% Pulsard com 13% de álcool – Granada, ralo, com halo. Frutas vermelhas maduras, morango, cereja e  tostado. Na boca, ótima acidez, taninos finos presente, corpo médio, retrogosto frutado. Vinho elegante e  fácil de gostar - R$ - Não disponível no momento





Hiedker Zweigelt Reserve 2009 -  Varietal 100% Zweigelt com 13% de álcool – Rubi, média concentração, sem halo. Olfativamente vinoso, frutas negras, tabaco, e tostado . Na boca, tripé correto, macio, fácil de beber final de boca frutado com ligeiro  cacau – R$ 171

Chianti Rufuna Basciano 2013 – Corte de Sangiovese com Colorino e 13,5  de álcool - Rubi boa concentracao leve halo. Violetas, frutas negras, herbáceo e alcaçuz. Na boca, ótima acidez, taninos finos não prontos, corpo médio, ponta de álcool, retrogosto longo e  frutado – R$ 115

Castello di Magione Moroneto 2013 – Corte de Sangiovese, Merlot,  e Pinot Noir com 14% de álcool – Rubi, boa concentração, sem halo Nariz herbáceo,  floral rosas,  couro e terroso. Boa acidez, taninos presentes, corpo médio para amplo, final de boca suculento e austero – R$ 97

Renosu Rosso Dettori sem safra - Corte de Cannonau, Monica e Pascale com 13% de álcool – Rubi,  média concentração leve halo de evolução. Frutas vermelhas maduras com ligeiro dulçor, figo, floral e ervas aromáticas. Alta acidez,  delicado , taninos finos, corpo médio, retrogosto frutado, com ligeiro açúcar residual, - R$ 162

Ar Pe Pe Inferno Fiamme Antiche Riseva 2011  - 100% Nebbiolo – Granada, ralo, halo de evolução. Frutas vermelhas compotadas, balsâmico, especiarias doces,terroso , e leve tostado. Ótima acidez, austero, taninos finos, elegante, delicado, final de boca frutado – R$ - Não disponível no momento







Arzuaga  Crianza 2012  Corte de Cabernet Sauvignon, Merlot, e Tempranillo com 14,5% de álcool – Violáceo, média concentração, sem halo. Frutas negras, alecrim,  pimenta , balsâmico, e tostado. Ótima acidez, tânico, fino, suculento , bom corpo, retrogosto frutado com maior presença de terciários – R$ 270

Glen Carlou Gravel Quary 2010 – 100% Cabernet Sauvignon com 14% de álcool. -   Rubi, média concentração, sem halo.  Complexo, frutas negras, grafite, borracha, violetas e chocolate amargo. Na boca, ótima acidez, taninos presentes mas finos , bom corpo, suculento,  final longo, agradável e marcado por especiarias. – R$ 275

De Martino Gallardia  Del Itata 2014- 100%  Cinsault com 13% de álcool – Violáceo, pouca concentração, sem halo. Fresco, frutas negras, framboesa, grafite, e toque herbáceo. Delicado, ótima acidez, leve, final de boca frutado pontinha doce – R$ 96

De Martino Viejas Tinajas 2014 – 100% Cinsault com 13%  álcool. – Frutas vermelhas azedas, pitanga,  terroso , e especiarias doces. Na boca, tripé correto, taninos finos, corpo médio, final de boca fluido. – R$ 149








De Martino Las Cruzes Old Wines 2012 – Corte de Carmenére e Malbec com 13,5% de álcool. – Rubi, extra tinto,  brilhante, sem halo . Nariz complexo, frutas negras frescas, borracha, alcaçuz, herbáceo, e chocolate amargo. Tripé correto, taninos finos, corpo intenso mas com tudo bem integrado, delicia – R$ 227

Fonseca 10 years Tawny - Granada ralo, halo intenso. Ofativamente trazendo figo seco, massa de vidraceiro, nozes e avelãs. Perfeito balanço de boca,pontinha de alcool, retrogosto frutado com figo e tâmara. – R$351








Fonseca Late Bottled Vintage 2009  - Violáceo  extra tinto, sem halo. Limpo,  herbáceo, frutas secas, chocolate e tabaco. Elegante, tripé correto, macio , um Vintage fácil de beber – R$ 242


Decanter – Site: www.decanter.com.br – Fone (011) 3702 2020

19 de set de 2016

Cachaças ganhadoras no Concurso Mundial de Bruxellas 2016




Esta foi a segunda vez em minha carreira que tive a oportunidade de ser jurado de bebidas destiladas. Assim como ocorre com a degustação de vinhos a da cachaça passa por 3 estágios, a análise visual, a olfativa e a gustativa. Na análise visual não é comum dar notas, pois as chamadas brancas são sempre límpidas e cristalinas e as com passagem por madeira não tem padrão de cor definido pois cada tipo de madeira tem sua própria característica. A Analise olfativa segue o padrão utilizado no vinho, primeiramente cheira-se a cachaça sem agitar a taça onde sentimos os aromas primários da bebida , em um segundo estágio agitamos a taça para sentirmos os aromas secundários e terciários que vem do processo de produção e da guarda em barricas. As melhores cachaças tem sempre aromas limpos de fruta, excesso de álcool, aromas azedos, e excesso de açúcar são considerados defeitos e prejudicam a nota final. Nas cachaças com passagem por madeira também se faz desconto na pontuação as que tem aroma excessivos de madeira ficando as notas mais altas sempre para as que tem maior fineza.  Existe uma prática comum entre os degustadores de destilados,  que após passarem pela análise gustativa , voltam a olfativa colocando um pouco de água na cachaça o que ajuda a  liberar ainda mais os aromas.
Na análise gustativa nos concentramos mais em sentir o equilíbrio entre a estrutura, a acidez, e o álcool, tomando muito cuidado com o chamado travo de boca causado por amargor ou por rusticidade do produto. Espera-se que a cachaça seja balanceada, macia e tenha final de boca agradável e suave. Tendo dito isto vamos às cachaças premiadas com a Grande Medalha de Ouro.

·  DESTILADOS PREMIADOS COM MEDALHA DE GRANDE OURO:
·  Reserva 51 Carvalho Americano, Cia. Müller, Pirassununga, São Paulo
·  Reserva do Nosco Carvalho Francês, Marcelo Nordskog, Rezende, Rio de Janeiro
·  Ouro Mineiro Umburana, Engenho Brasil 21, Minas Gerais
·  Engenho d’Ouro Carvalho Francês, Engenho D’Ouro, Paraty, Rio de Janeiro
·  Engenho d’Ouro Jequitibá, Engenho D’Ouro, Paraty, Rio de Janeiro
·  Gogó da Ema Mix, SKL Medeiros Ferreira, Maceió, Alagoas
·  Guaraciaba Premium, Aguardente Guaraciaba, Guaraciaba, Minas Gerais
·  Tiúba de Minas, Prosa Mineira, Sta. Rita de Caldas, Minas Gerais
·  Companheira Extra, Nataniel Carli, Jandaia do Sul, Paraná

Se você tem interesse em conhecer as premiadas com medalha de Ouro e de Prata entre no site da revista Vinho Magazine organizadora do concurso aqui no Brasil pelo endereço abaixo informado


Concurso Mundial de Bruxelas - Brasil