9 de mai de 2019

Os vinhos de Theo Giesen

Theo Giesen


Nesta semana recebi o convite para participar do “Sauvignon Blanc Day”, evento promocional para divulgar esta refrescante cepa pelo mundo. Este evento contava apenas com vinhos da Nova Zelândia certamente uma das melhores origens para a Sauvignon Blanc no mundo. Aproveitei a oportunidade para bater um papo com Theo Giesen proprietário da vinícola que leva seu sobrenome, fundada em 1981 e localizada na região de Marlborough. Logo de início percebi um certo sotaque em Theo e perguntei a ele se ele tinha estudado fora da Nova Zelândia, mas a resposta foi rápida, não sou neo zelandês, sou alemão e fui para este maravilhoso país, junto com meu irmão Alex, quando tinha 22 anos buscando um lugar diferente e mais natural para viver e quem sabe seguir com o negócio da minha família, que era a comercialização e montagem de grandes obras com mármore e granitos. O objetivo inicial de Theo foi por água abaixo pois na Nova Zelândia as casas normalmente eram construídas em madeira e grande obras como igrejas eram escassas. Aí surgiu a alternativa de elaborar vinhos, mas eles não tinham experiência,ele lembra que na época existiam apenas 80 vinícolas no país. Enquanto Theo e Alex compravam as terras e plantavam os vinhedos o irmão mais novo Marcel foi estudar enologia e quatro anos depois se juntou aos irmãos. Os anos passaram e hoje a família possui 291 hectares de vinhedos dos quais 20 % certificados como orgânicos, e compra uvas de 70 produtores locais, sua vinícola tem capacidade para processar mil toneladas de uva por dia contando com 150 tanques de diversos tamanhos de aço inox e mais de mil barricas de carvalho alemão, sendo considerada uma das maiores e mais requintadas vinícolas da Nova Zelândia que hoje possui mais de 800  vinícolas espalhadas pelo país. A Giesen exporta 95 % de sua produção sendo a Sauvignon Blanc a cepa mais utilizada. Hoje produzem 3 rótulos com esta uva, além de Chardonnay, Pinot Gris, Riesling , Gewustraminer, Pinot Noir, Merlot e Shiraz.

No dia, por seu um evento apenas de Sauvignon Blanc provei o Giesen Sauvignon Blanc  2018  com 12,5% de álcool sem passagem por madeira, elaborado com uvas de Wairau e Awatere Valley. - Palha com toques verdeais. Nariz, marcado por ervas aromáticas, arruda, ponta cítrica e muita mineralidade. Boca vibrante, agressiva, alta acidez, seco, corpo médio, retrogosto mineral, fresco e confirmando o toque herbáceo. R$ 100

Na entrevista com Theo fiquei muito curioso em conhecer seu Riesling, visto ele ter me informado que o vinho tinha 40 g/l de açúcar residual, e de que devido sua alta acidez o mesmo não era nem um pouco enjoativo. Ricardo Custodio responsável pelo Oba, o importador dos vinhos Giesen no Brasil que estava escutando nossa conversa não teve dúvidas gentilmente oferecendo uma garrafa de Riesling e uma de Pinot Noir para provar em casa. Aí vão minhas impressões sobre os vinhos:

Giesen Riesling 2017 com 10% de álcool sem passagem por madeira, elaborado com uvas de Waipara – Dourado, claro , brilhante. No nariz uma cesta de aromas cítricos como mexerica, limão siciliano, e toque floral lembrando flor de laranjeira, finalizando com delicado mel e mineralidade. Na boca macio, elegante, suave, corpo curto final de boca com cítrico adocicado, leve petrolato, e definitivamente não enjoativo. Tomado às cegas poderia ser confundido com um bom Riesling alemão. -R$ 100

Giesen Pinot Noir 2018 com 12,6% de álcool, e passagem de 8 meses por barricas francesas, elaborado com uvas de Wairau e Awatere Valley. - Violáceo, média concentração sem halo. Olfativamente trazendo amoras e cerejas bem maduras, toques terrosos, e couro. Na boca sedoso, corpo médio taninos resolvidos e final elegante – R$ 100

Por ser a linha básica deste produtor os vinhos mostraram muita qualidade e certamente tem uma ótima relação custo benefício,todos já disponíveis na Oba Hortifruti

Oba- Site: www.obahortifruti.com.br – Fone (011) 37467010

Nenhum comentário:

Postar um comentário