6 de abr de 2017

Em tempos de crise é bom descobrir uma saída: Vinhos do Tejo


 

Como profissionais do vinho não paramos de nos lamentar de como ficou difícil adquirimos exemplares das melhores origens do mundo, como os Premier Grand Cru Classé de  Bordeaux, algumas joias da Borgonha, e até os tradicionais Barolos. Muitos de nós tiveram a oportunidade de comprar estes vinhos a preços da época e ainda possuem algumas garrafas em suas adegas, mas checando os preços de reposição de hoje, todos simplesmente desistem pois estes são absolutamente impraticáveis para maioria de nos seres humanos comuns. Claro que falo de ícones como um Chateau Latour, um Domaine Romanée Conti, e um Conterno, mas noto que outros bons produtores também pouco a pouco começam a ser sobrevalorizados , vejam alguns preços que encontrei hoje na internet  Chateau Lynch Bages 2007 por R$ 1.200, um Grand Èchezeaux Grand Cru 2011 do Joseph Drouhin por R$ 3.300, e um Barolo Pio Cesare Ornato 2009 por R$ 915. Mas a coisa não para por ai pois outras origens até poucos anos atrás fáceis de comprar agora praticam preços bem altos como é o caso dos Brunellos di Montalcino dos potentes Douro, dos Riojas etc etc etc . Desta forma fico animadissimo quando encontro vinhos de alta qualidade com grande potencial de guarda em outras regiões menos conhecidas como ocorre hoje com o Vale do Loire ou Tejo como exemplos.

Nesta semana que passou realmente me animei com alguns vinhos provados no evento Caravana do Tejo organizado pela Wine Senses coordenada pelo simpático José Carlos Santanita, definitivamente uma origem para ser observada com mais atenção e em minha opinião ser comprada para guarda.  Durante o jantar oferecido para a mídia especializada gostei demais da grande maioria dos  vinhos provados especialmente o  Casa Agrícola de Portugal Compasso Grande Escolha 2013 um corte de Touriga Nacional, Alicante Bouchet, e Syrah com 14,5% de álcool e 9 meses de passagem por barricas francesas. Um vinho direto com diversas camadas olfativas marcadas especialmente por frutas vermelha madura, floral, especiarias e leve toque de grama cortada. Na boca, excelente acidez natural escondendo totalmente os 14,5% de álcool, elegante, corpo médio e final de boca frutado com ligeiro toque tostado, vendido pela importadora ( Casa Agrícola de Portugal ) a R$ 85 a garrafa. Fiquei tão impressionado com o potencial deste vinho que durante esta semana já fiz meu pedido para ter este vinho em minha adega. Este mesmo vinho é elaborado pela Quinta da Ribeirinha e em Portugal é comercializado lá sob o nome de Vale de Lobos Grande Escolha .

No dia seguinte participei da Master Class e provei os seguintes vinhos:

Brancos
 Babu  Fiuza 20162016 - Corte de  Chardonnay e Arinto sem passagem por madeira

Quinta do Casal 2015  - Varietal 100% Fernao Pires  sem passagem por madeira.

Casal do Conde 2016 – Varietal Alvarinho sem passagem por madeira
Casal da Coelheira Reserva 2016 – Corte de Chardonnay com Arinto sem passagem por madeira  –
Quinta do Casal Monteiro Rose 2016 – Corte de Syrah, Touriga Nacional,e  Tinta Roriz,  sem passagem por madeira.
Terra Silvestre Private Selection 2015 - Corte com 60% de Alicante Bouchet e 40% Syrah

Cabeca de Toiro Reserva 2012 Corte de Touriga Nacional e Castelão com 9 meses de carvalho português. Sem informação de passagem por madeira

Quinta da Alorna 2012  - Corte de Touriga Nacional e Cabernet Sauvignon  com 12 meses em barrica francesa e americana   

Casa Agrícola de Portugal Compasso Grande Escolha 2013 – Corte de Touriga Nacional, Alicante Bouchet, e Syrah com 14,5% de álcool e 9 meses de passagem por barricas francesas.

Bridão Private Collection 2014 Corte de Alicante Bouchet  e Touriga Nacional com 8 meses carvalho português  

Meus destaques para

Casal da Coelheira Reserva 2016Meu favorito entre os brancos.  Um vinho aromaticamente complexo com predominância de frutas amarelas como pêssego, aromas cítricos, e toque mineral, mas que teve como destaque o frescor e ótimo balanço de boca, trazido pela importadora Vinissimo , fone (011) 4195 5554, com preço de R$ 122






Quinta da Alorna Reserva 2012  - Vinho intenso com paleta aromática ampla destacando as frutas negras maduras, especiarias, e o agradável toque floral complementado por aromas de cacau. Ótima acidez taninos intensos mas muito finos, corpo médio para amplo retrogosto  frutado, Vinho bem gastronômico e com grande potencial de  guarda. Trazido pela Adega Alentejana, fone (011) 5044 5760, a R$ 135





Casa Agrícola de Portugal Compasso Grande Escolha 2013   Já comentado acima  trazido pela Casa Agrícola de Portugal , fone (027) 997404568, a R$ 85








Bridao Private Collection 2014 - Violáceo extra tinto sem halo. Olfativamente austero fruta negra fresca , grafite,tabaco, tostado , e mineralidade. Na boca ótima acidez ,taninos finos,mas com um balanço de boca excepcional , final de boca direto fresco senhoril.Trazido pela Malbec do Brasil , fone (011) 3274 1360, a R$ 145.







Como dito anteriormente vinhos imperdíveis para comprar de caixa, o branco para consumo imediato e especialmente os tintos  para consumo futuro. Boas compras

Nenhum comentário:

Postar um comentário