2 de jul de 2016

Brunello di Montalcino cada vez mais ícone

Giacomo Pondini, Luiz Horta, Walter Tommasi, Giovanni Bacigalupo, e Fabian Schwarz

Estou convencido que o Brunello é o vinho que mais ganhou prestígio na Itália nos últimos anos e hoje está de braços dados com o Barolo dentro dos mais cultuados da Itália e por que não dizer do mundo. Certamente um grande vinho caso contrário não chegaria onde chegou, mas vale mencionar também alguns outro fator importante como  o trabalho feito pelo Consorzio Brunello di Montalcino que sabe muito bem como divulgar e posicionar  seu produto. Como jornalista especializado posso afirmar não ser um trabalho fácil afinal hoje em dia existem diferentes formas de vinificação que fazem com que a tipologia seja um pouco prejudicada, mas isto ocorre com todas as principais regiões vinícolas do mundo e bons exemplos desta mudança global são Bordeaux e Borgonha. Por isto destaco o trabalho do Consórcio que faz a região crescer dentro da multiplicidade de estilos. Tenho participado já por 6 anos do evento Benvenuto Brunello que apresenta aos jornalistas do mundo inteiro as novas safras de Brunello, Rosso, Moscadello e Sat Antimo, sempre realizados na cidade de Montalcino , mas fico impressionado também com a confiança dos mesmos na realização dos eventos anuais de Brunellos no Brasil que já completam seu terceiro ano, ainda que ocorram em plena crise brasileira. O evento, que para mim é um dos mais bem organizados que acontece em nossas terras, costuma trazer uma dezena de produtores que apresentam seus vinhos no modelo de feira de vinhos, mas conta também com um fantástico Master Class e jantar de jornalistas com produtores. Como sempre tive o prazer de ser convidado e de participar do evento inteiro e já destacando os vinhos provados no Master Class que foi dividido em duas degustações, a primeira com 11 Rossos di Montalcino da safra 2014 considerada pelo próprio Consórcio como problemática recebendo 3 estrelas , por ter um verão chuvoso e frio que prejudicu a maturação das uvas.  
A apresentação dos vinhos ficou por conta de Giacomo Pondini diretor do Consorzio e do amigo Arthur Azevedo da ABS – SP com os seguintes produtores : Altesino, Barbi, Azienda Del Poggio, Brunelli, Camigliano, Caparzo, Col D’Orcia, La Magia, La Palazzetta, Pian de Le Querce,e Sassodisole , de onde destaco

Altesino. – Com  8 meses de botes da Eslavônia , mais 3 meses de garrafa, 13,5% de álcool com produção de 30 mil garrafas – Importado pela Zahil – Granada, ralo,  halo de evolução. Frutas vermelhas, violetas, funghi, e  tostado. Na boca ótima acidez, taninos presentes, corpo médio para amplo,  retrogosto aveludado,  fresco, e frutado. Um vinho de estilo mais moderno mas  delicioso . Nota 90/100

Camigliano -  Com 6 meses de barricas francesas e  botes da Eslavônia , 13,5% de álcool com produção de 70 mil garrafas – Importado pela Casa Flora. – Rubi, bem ralo, leve halo. Couro, borracha, frutas vermelhas, e  tostado. Direto,  mais austero, fresco, taninos presentes finos ainda não pronto,  final de boca duro lembrando os  brunellos. Produtor mais industrial mas que mantem padrão de qualidade de excelência. Nota 89/100

Caparzo – Com um ano em Botes da Eslavônia mais 3 meses de garrafa, 13% de álcool com produção de 130 mil garrafas – Importado pela Barrinhas -  Granada ,ralo, halo de evolução. Frutas vermelhas azedas, terroso,  tostado, direto. Ótima acidez, taninos ainda verdes, corpo médio, final de boca austero. Um vinho mas  tradicionalista de boa estrutura , mas que precisa de mais tempo de garrafa . Nota 88,5/100

Col D’Orcia – Com 1 ano em barricas francesas e da Eslavônia masis 6 meses em garrafa,14% de álcool, e produção de 190 mil garrafas – Importado pela Franco Suissa - Violáceo, boa concentração, sem halo. Floral ,violetas, frutas vermelhas maduras , confitado e tostado.  Alta acidez, taninos intensos, suculento ,gastronômico, corpo amplo,  final de boca frutado e fresco. Outro vinho que  precisa de mais  tempo garrafa e promete resistir guarda mais longa. Nota 89/100

Sassodisole – Com 12 meses de tanque de aço mais 12 meses em botes da Eslavônia, 14,50 de álcool, e produção de 8 mil garrafas – Importado pela AC2 Importação – Granada, média concentração, halo presente. Olfativamente com fruta vermelha madura, violetas, tostado, terroso, e funghi.Na boca ótima acidez,  taninos finos ,delicado, corpo médio retrogosto frutado. Um vinho elegante para tomar de garrafa Nota  89,5/100




A seguir novo painel com os Brunellos di Montalcino da safra 2011 classificada pelo próprio consórcio com 4 estrelas, mas que para mim gerou vinhos de mais tipicidade do que a badalada safra 2010 premiada com 5 estrelas . Devido ao ano intavel mas que Os vinhos servidos foram dos mesmos produtores do painel anterior onde destaco:
Altesino- Com 30 meses em botes da Eslavônia , mais 4 meses em garrafa,com 14,5 % de álcool , e produção de 100 mil garrafas – Importado pela Zahil – Granada ,ralo,  halo de evolução, olfativamente com chocolate , frutas vermelhas maduras, floral , herbáceo, e couro . Ótima acidez, taninos presentes, finos, picante,  agressivo,  corpo médio, retrogosto frutado e terroso. Delicioso – Nota 92/100

Belpoggio – Com 36 meses em barricas, 14,5 % de álcool, e produção de 16 mil garrafas – Importado pela Sicilianess - Granada ralo ,mineral, ameixas maduras, frutas secas, chocolate,, violetas  e baunilha. Ótima acidez, taninos finos, corpo médio, suculento, final de boca bem frutado, com pontinha doce, álcool  correto e fruta com ligeira evolução . Um vinho pronto pata beber, não recomendaria guarda .Nota  91/100

La Palazzetta – Com 3 anos e meio em barrica francesa, 15% de álcool, e produção de 25 mil garrafas – Importado pela Itália Mais -
Granada, ralo, leve halo. Floral, perfumado, frutas vermelhas frescas,tabaco, leve tostado.  Tripé correto, alta acidez, taninos presentes, corpo médio, final de boca fresco, frutado e com amêndoas. Vinho muito agradável pronto para beber. Nota 90/100
Pian delle Querce -  Com 3 anos em botes novas da Eslovênia , 15% de álcool, e produção de 38 mil garrafas - Sem importador no Brasil – Granada, ralo, halo de evolução , leve halo. Frutas vermelhas maduras, floral intenso, herbáceo, e tostado . Ótima acidez, ponta de álcool, taninos muito finos,  final de boca com fruta já com ligeira evolução. Vinho com bom balanço de boca e também já pronto para o consumo. Nota  90/100

Sassodisole  - Com 1 ano de aço inox, 3 anos de bote da Eslavônia, e um ano em garrafa, 14,5% de álcool , com 9 mil garrafas - Importado pela Ac2 Importação - Granada ralo halo de evolução. Frutas evoluídas, vermute,  especiarias, chá ,funghi, floral.  Acidez média , taninos presentes, ponta de álcool, picante retro. Final de boca  frutado com leve evolução . Delicia de vinho. Nota 91/100


Consorzio Del Vino Brunello di Montalcino - www.consorziobrunellodimontalcino.it

Nenhum comentário:

Postar um comentário