9 de set de 2015

Confraria das 2as feiras degusta vinhos do K7



Devo admitir que tenho muito prazer de participar desta confraria  que surgiu inesperadamente com pessoas  de diferentes áreas de interesse mas que tem como elo de ligação o gosto pelos bons vinhos, comida e a generosidade, isto tudo junto faz com que a amizade se solidifique e que nossas reuniões sejam cada vez mais esperadas. Portanto fica aqui minha homenágem a este grupo formado por André, Alessandro, Esper, Jávera, Paulo, Sidney, Victor, Yuki e este que vos escreve. Ontem mais uma vez o local escolhudo foi o Bela Sintra pois ninguem é de ferro para ficar muito longe daquele sensacional arroz de pato preparado por eles.

Tudo começou com um  evoluido Champagne Fleury 1995  com 12,5 de álcool ,trazido como sempre pelo Jávera . Cor dourada brilhante,perlage minuscula e nervosas. No nariz muita  fruta amarelas madura com evolução, levedura, e nozes. Na boca , ótima acidez, mousse sedoso,  deliciosamente  suculenta com  final de boca marcado pelas frutas secas e leveduras








A seguir um Corton Charlemagne Grand Cru Verget 2006  com 13% de álcool trazido pelo Sidney. Palha brilhante, ainda verdeal. Olfativamente muito limpo , cítrico, mineral, abacaxi fresco, e quase imperceptivel tostado. Ótima acidez, fresco, macio,  elegante, final de boca perfeito. O favorito da noitada








O segundo branco foi o Weingut Knoll Gruner Veltliner 1998  com 12% de álcool apelidado carinhosamente de Klovis  e trazido pelo Alessandro. Palha verdeal, brilhante. Olfativamente marcado por aromas de petrolato, pedra molhada, leve citrico e inesperado defumado. Boca intensa com deliciosa acidez , picante, bom corpo, e   retrogosto mineral e petrolato,  como sempre delicioso








Para fazer a transição para os tintos nada melhor do que um moderno laranja e o escolhido foi o Radikon Slatnik2009 elaborado por  Sasa Radikon filho do mitológico Stanko , um corte de Chardonnay e  Tokay Friulano  com 13,5% de álcool – Este exemplar foi levado  por mim e fruto de compra em recente viagem pela Itália.  Cor laranja atijolado muito intenso  e opaco. No olfato trazia  morangos, resina, casca de  mexerica,damasco  leve toque de caldo de cana, e menta. Na boca selvagem, tânico, ótima acidez, suculento, final de boca com um coktail de frutas como  ameixa , melão, e  morango . Um vinho fora da curva





Para iniciar os tintos um Domaine Jamet Côte Rotie 1997 com 13% de álcool levado pelo Anré  - Rubi indo para granada. Floral, herbáceo, azeitona preta, yodo, tinta de caneta, e frutas negras. Na boca ótima acidez, taninos secos, corpo médio, suculento, final de boca com  azeitona na salmoura. O André me lembrou que tomamos este vinho em 2013 relendo a nota da época notei que me agradou mais na primeira vez, quando comentei que queria toma-lo com 2/3 anos a mais . ou será que o painel de hoje foi mais competitivo ?







O próximo foi um  Tondonia 1994 com 12,5% de álcool  garimpado pelo Victor- Granada ,média concentração, halo de evolução marcado. Olfativamente complexo, frutas vermelhas maduras,  café,  coco, tudo sem excessos. Na boca , tripé perfeito, ótima acidez,  taninos resolvidos, corpo médio,  nenhuma sensação de álcool, final de boca fresco e frutado. Um vinho resolvidissimo para mim o melhor entre os tintos.









O último do tintos foi um Oddero Barolo 1995 com 13,5% de álcool vindo diretamente da adega do Esper – Aqui está um exemplo didático do que é um vinho austero. Granada bem concentrado, halo intenso de evolução. Nariz direto, fruta negra azeda ,flores secas, terroso,mineral e delicado herbáceo. Na boca, seco, austero, quase rústico,  corpo médio para amplo, retrogosto com  frutas negras ,terroso, alcaçuz e muita mineralidade. Um vinho sério e altamente gastronômico







Para finalizar o Esper como sempre nos presenteou com um vinho de sobremesa e desta vez escolheu um alucinante Smith Woodhouse Vintage Port  da safra de 1977 com 20% de álcool  Cor rubi indo para granada extra tinto com halo de evolução. Fruta negra madura,  geleia de ameixa, leve menta, e ponta de tostados . Na boca ótima acidez, limpo, picante, acido , encorpado,  e deliciosamente frutado ainda jovem por incrivel que possa parecer acho que vai atingir seu auge daqui uns 50 anos ( vinho para meus netos).







Obrigado amigos e até o mês que vem.


Nenhum comentário:

Postar um comentário