8 de jul de 2013

Grand Tasting da Argentina


No dia 27 de Junho  foi realizado o Grand Tasting da Argentina 2013 com a presença de 44 produtores. O programa consistiu em: 

 - Master Class ( Degustação de 9 vinhos, exclusiva para jornalistas e formadores de opinião    
 -  Espaço para stands onde cada uma das bodegas contava com mesa própria para a apresentação dos vinhos escolhidos.
Quatro Wine Walk : Vinhos Brancos com Tomás Hugues ( Enologo da Trapiche) , Espumantes Argentinos com Jorge Riccitelli ( Enologo da Norton) , Cabernets da Argentina com Tomás Hugues, e  Terroir Malbec com Mathias Riccitelli ( Enologo da proprietario da Riccitelli) .


Infelizmente por um compromisso de trabalho não consegui acompanhar nenhum dos Wine Walks e tive que  visitar os stands muito rapidamente, mas mesmo assim consegui provar alguns grandes vinhos.
Durante o Master Class foram apresentados os seguintes vinhos :
1)      Cosecha Especial Norton Extra Brut –  Espumante varietal 100% Chardonnay – 11,9% álcool da Maxi Brands – R$ 59 – Nota 85/100

2)      Família Bianchi  2012 – Varietal Chardonnay , com passagem de 10 meses em barricas e 6 meses de garrafa e 14,2% de álcool – Dourado, ralo, brilhante. Pera madura, grapefruit,e toque mineral. Na boca, ótima acidez, seco, boa estrutura, fresco, retrogosto floral com ligeiro adocicado. Vinho simples extremamente agradável. - Mr Man – R$ 79 – Nota 87/100







3)      Quara 2011 -  Varietal 100% Torrontés, 13,5% de álcool – World Wine – R$ 35 – Nota 84/100
4)      Fabre Montmayou Gran Reserva 2011 – Varietal 100% Cabernet Sauvignon com passagem de 12 meses por barrica,14% de álcool – Moet Hennesy – R$ 85 – Nota 87/100
5)      Edicion Limitada 2007 – Varietal Bonarda, com passagem de 12 meses por barrica francesa, 14% de álcool – Casa Flora – R$ 110 – Nota 88/100

6)      Decero Remolinos Vineyard 2010 – Varietal 100% Petit Verdot, com passagem de 16 meses por barricas francesas, 14,1% de álcool – Violáceo, alta concentração, sem halo. Frutas negras frescas, minera, grafite, toque mentolado e ligeiro lácteo. Na boca acidez presente, taninos finos ainda nao totalmente resolvidos, austero, boa estrutura, retrogosto com frutas e tinta de caneta.  Ana Import - R$ 79 – Nota 89/100







7)      Trapiche Iscay 2008 – Corte com 70% Malbec e 30% Cabernet Franc com passagem de 12 meses por barricas francesas e um ano de garrafa, 14,8% de álcool – R$ 200 – Nota 88/100
8)      Norton Privado 2010 – Corte de Malbec, Merlot, e Cabernet Sauvignon, com passagem de 12 meses em barricas, 14,8% de álcool – R$ 93 – Nota 88/100

9)      Cheval Los Andes 2007 – Corte de Malbec, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, e Petit Verdot, 14,5% de álcool – Rubi, extra tinto, halo de evolução. Olfativamente, com frutas vermelhas maduras, chocolate, pimenta preta, floral e ligeuiro lácteo. Na boca tripé correto, sedoso, corpo médio,  suculento, final de boca com frutas maduras e presença de terciarios. Grande vinho pronto para ser tomado. - LVMH – R$ 320 – Nota 91/100






Visitando os stands os vinhos que mais chamaram minha atenção foram:

Republica del Malbec 2011 – Varietal 100% Malbec  com passágem de 18 meses por barricas , 14,5% de álcool. – Violáceo , alta concentração, sem halo. Cereja azeda, chocolate amargo, leve tostado, ponta de menta. Ótima acidez, taninos finos ainda ligeiramente asperos, bom corpo, retrogosto macio e frutado com toque de alcaçuz - Sem Importador -  Nota 88/100







2   
 - Bianchi Enzo 2006 – Corte com Cabernet Sauvignon e  Malbec  e Petit Verdot com 14,3% de álcool – Granada, média concentração, leve halo. Olfativamente complexo, cereja azeda,  animal, sottobosco, pimenta preta, menta, floral. Ótima acidez, taninos finos ainda ligeiramente verdes, corpo médio, elegante, suculento, retrogosto frutado. Ótimo vinho que precisa um pouco mais de tempo de garrafa . – Mr Man - Nota 89/100







- Nosotros 2006 – Varietal 100% Malbec , com passagem de 24 meses em barricas  americanas e 15% de álcool – Violáceo, extra tinto, sem halo. Cereja madura, chocolate, floral e ligeiro tostado.  Boa acidez, taninos doces,  corpo médio, suculento, tripé correto, final de boca sedoso e frutado. Um Malbec que me agrada muito. - Cantu - Nota 91/100







Destaque de o melhor custo benefício para o


Sottano Chardonnay 2012  - Palha verdeal, brilhante. Olfativamente limpo, mexerica, e mineral. Na boca ótima acidez, fresco, corpo médio, retrogosto frutado lembrando abacaxi fresco e mineral .  Max  Brands - R$ 35 – Nota 86/100

2 comentários:

  1. Bom ter referências de vinhos argentinos. Pois para mim, só restava os da bodega Weinert e da bodega Lopez.

    ResponderExcluir
  2. Oi Ade. Bem os mencionados por você são meus dois produtores favoritos na Argentina mas tem muito vinho de alta qualidade produzido nas terras hermanas.São vinhos mais redondos frutados e prontos tudo é uma questão de momento ! Abração

    ResponderExcluir