13 de abr de 2018

Mais um Road Show do Gambero Rosso no Brasil



Marco Sabellico

O Gambero Rosso está cada vez mais globalizado por conta dos Road Shows que organiza anualmente após a publicação dos resultados dos melhores vinhos do ano. O Brasil, junto a Alemanha, Canadá, China, Dubai, Estados Unidos, França, Itália, Japão, Rússia, Singapura, Suíça, Tailândia e outros já faz parte do rol de  países agraciados com os eventos já a alguns anos. O seu Guia de vinhos foi lançado em 1987 sempre alicerçado pela seriedade  tornando -se o mais importante meio de divulgação dos vinhos da Itália, passando a seguir, em 1990, a publicar seu também famoso Guia de Restaurantes.  

A indústria italiana certamente deve muito ao Gambero Rosso, e o reconhecimento desta importância é facilmente explicado pelo número de vinhos que são a eles enviados anualmente para análise. Neste ano que passou foram mais de 22 mil rótulos de 2485 produtores dos quais 436 vinhos receberam a pontuação máxima de 3 bicchieri. Vale lembrar que em sua primeira edição haviam sido 1400 rótulos de 465 produtores e 32 vinhos recebendo os famosos 3 bicchieri. Nesta semana recebemos a caravana do Gambero Rosso em São Paulo e como sempre o comando e apresentação dos vinhos coube ao editor sênior do guia Vini d’Italia, Marco Sabellico. O evento contou com a  presença de 42 produtores  e 120 rótulos. 

Tive o prazer de participar de um dos dois Máster Class que teve a apresentação dos seguintes vinhos: San Salvatore Falanghina 2016 da região da Campania, Il Greco Filú Greco di Tufo 2017 da Calabria, Palmento Costanzo Etna Bianco Mofete Carricante 2016 da Sicília, Baglio di Pianetto Ficiligno Insolia e Viognier 2016 da Sicília, Mandrarossa Santannella  Chenin Blanc 2016 da Sicília, Vigne Surrau Vermentino di Galura Superire Sciala 2016 da Sardenha, Tenute Rubino Rosato Negroamaro 2017 da Puglia,Checchi Chianti Classico 2015 da Toscana, Famiglia Zingarelli Chianti Classico 2015 da Toscana, Vallepicciola Chianti Classico 2015 da Toscana,Riserva Ducale Chianti Classico 2013 da Toscana, San Felice Brunello di Montalcino 2013 da Toscana, Fattoria Le Pupille Morellino di Scanzano 2016 da Toscana, Bolheri Sassicaia 2014 da Toscana, Grattamacco Bolgheri 2014 da Toscana, Tollo Montepulciano d’Abruzzo Riserva 2013 de Abruzzo, Torrevento Castell del Monte Nero di Troia Ottagono 2014 da Puglia, Tenuta Viglione Negroamaro 2016 da Puglia, Per Lui Leone di Castris Salice Salentino 2015 da Puglia, e  Nero D’Avola Sosta Ter Santi 2011 da Sicília.

Meus destaques foram:

Baglio di Pianetto Ficiligno 2016 trazido ao Brasil pela Domno- vinho limpo mineral e cítrico ofativamente , mas com muito frescor e estrutura na boca, deliciosamente mineral.











Vigne Surau Vermentino di Galura 2016 Importado pela Purovino – Um vinho complexo cheio de camadas aromáticas, boca fresca macia e bem frutada.

Famiglia Zingarelli Chianti Clasico 2015 importado pela Decanter- um vinho austero senhoril com frutas negras, violetas e sottobosco, ainda muito intenso na boca pedindo mais guarda em garrafa, promete

Brunello di Montalcino San Felice Campogiovanni 2013 Importado pela Império du Vin - Ótimo Brunello pronto para beber, denso, com uma textura agradabilíssima.










Riserva Ducale Chianti Classico 2013 importado pela Interfood – Um chianti tradicionalista, com muita tipicidade, deliciosamente maduro

Le Pupille Morellino di Scanzano 2016 – Importado pela Vinci. Não sou grande apreciador de Morellino mas os da Le Pupille são realmente fora da curva predominância floral e frutada, e tripé acidez, taninos e álcool em perfeita harmonia.

Bogheri Sassicaia 2014  importado pela Ravin – É sempre um grande prazer tomar um Sassicaia, não tanto pela sua fama mas pelo seu constante padrão de alta qualidade, este pedia mais tempo de garrafa para atingir seu ápice.









E que venha o próximo Road Show, com certeza estarei lá presigiando este tão importante evento de vinhos italianos
Forza Gambero Rosso
Gambero Rosso- Site www.gamberorosso.it/it  

Nenhum comentário:

Postar um comentário