18 de nov de 2016

Viagem a Portugal representando a Radio Jovem Pan


No mês passado tive o prazer de visitar  alguns produtores em diferentes  regiões de Portugal a convite da Qualimpor . Fiz a viagem representando a Rádio Jovem Pan, o que  gerou cinco matérias para o programa Enoteca Jovem Pan comandada pelo meu caro amigo Esper Chacur .Três delas já foram editadas e as últimas duas deverão estar no ar ainda dentro deste mês . Aproveito portanto, para publicar  um resumo do que tive a oportunidade de lá vivenciar e que serviu de base para as cinco entrevistas .
 A viagem foi realmente deliciosa e com uma programação bem intensa  -  No primeiro dia visitamos a vinícola Esporão no Alentejo
No segundo um passeio turístico por Lisboa visto termos 2 jornalistas mais voltados para o turismo
No terceiro dia visita à Quinta do Ameal na região do Minho
No quarto dia um passeio pela  encantadora Bairrada
No quinto visitamos as instalações da Taylors no Porto
No sexto dia a icônica Quinta do Crasto no Douro
E finalmente no sétimo a Quinta de Murças  braço do Esporão no Douro

QUINTA AMEAL


 Gostaria de  iniciar o relato pela visita à Quinta Ameal na região do Minho e dos vinhos verdes, uma área conhecida sempre por vinhos simples mas que depois da internacionalização da Alvarinho surgiu para o mundo com grandes brancos, especialmente os Alvarinhos. Hoje a mídia especializada em vinhos conhece e reverencía a região mais pelos seus  ótimos Alvarinhos, especialmente os do enólogo Anselmo Mendes responsável pela grande virada desta região. Pois ele foi o consultor escolhido e contratado pela Quinta do Ameal  para elaborar os vinhos da casa, mas saindo do novo lugar comum e utilizando-se da casta  Loureiro,  uma varietal que encontra no Vale do Lima citado como o local perfeito para que esta mostre todo seu potencial.  Esta vinícola boutique, que certamente vai se tornar referência, elabora apenas quatro vinhos brancos, sendo um deles de sobremesa. O segredo para trabalhar com a Loureiro? Estar no terroir certo, reduzir a produtividade de 15 toneladas por hectare para 5 toneladas , e adotar a agricultura orgânica que  permite ao vinho expressar este maravilhoso terroir, que como dito anteriormente e confirmado pelo simpático proprietário Pedro Araujo , é o melhor de Portugal para a branca Loureiro.

Vinhos Provados
Provei os 4 vinhos da casa :
O Quinta do Ameal Clássico 2015  Um vinho sem passagem por madeira, floral, vibrante, boa estrutura  e grande frescor, e que foi meu favorito.
O Quinta do Ameal Solo 2014 também sem passagem por madeira, mas com fermentação malolática que o tornou  mais macio e amanteigado que o primeiro.
 Ameal Escolha 2014 Um vinho um pouco mais complexo marcado pelas flores brancas, frutas amarelas e ligeiro toque defumado, com boca mais ampla com final defumado confirmando o nariz.
Finalmente o Ameal Special Harvest 2007 um vinho de sobremesa surpreendente com aromas bem delicados de mel compota de laranja, e uma boca elegante onde a acidez foi predominante amaciando o dulçor característico dos vinhos de sobremesa.
O que achei da Loureiro
Já havia provado esta variedade por duas vezes sem ter ficado muito impressionado com seus vinhos, mas devo admitir que os exemplares desta vinícola foram um surpresa agradável, e me agradaram muito. Pesquisando posteriormente sobre a uva ficou confirmado que as uvas do Vale do Rio Lima são realmente diferenciadas, além disto como já informado anteriormente a a Quinta de Almeal sabedora que a variedade e muito produtiva vem reduzindo sua produtividade de 15 para 5 tons por hectare e com isto ajudando sua concentração e consequentemente melhorando a qualidade dos vinhos produzidos. Não provei safras velhas mas Pedro me assegurou que depois de 5 anos o vinho ganha nuances de petrolato bem em linha com o que ocorre com os Alvarinhos e os Riesling

DICAS

 Minha dica para quem gosta de um turismo requintado é certamente ficar na Quinta que possui cinco  suites maravilhosas fruto da reconstrução de antigas casas totalmente remodeladas com uma arquitetura  moderna, e contando com todos os itens de conforto dos melhores Hoteis de Charme. Imperdível. E não esqueçamos os vinhos da Ameal são importados pela Qualimpor.
Alma

Já que não fizemos um programa só sobre Lisboa gostaria de deixar  duas dicas de locais para comer na capital portuguesa: A primeira é o restaurante Alma, do chef Henrique Sá Pessoa localizado na Rua Anchieta 15 no  Chiado candidatíssimo a estrela Michelin neste ano, cozinha contemporânea criativa e saborosa com excelente carta de vinhos


A outra dica fica por conta da tradicional Cervejaria do Ramiro inaugurada em 1956 e que para mim é uma das melhores opções para quem gosta de um bom peixe em Lisboa Rua Almirante Reis número 1 .


No próximo post vamos falar sobre nossa visita a Quinta do Crasto. Aguardem 

Nenhum comentário:

Postar um comentário