1 de set de 2016

Vivanco - A nova Rioja



Acho que fazem 7 anos atrás que conheci a linha de vinhos da Vivanco, lembro que na ocasião muitas coisas me impressionaram, a qualidade dos vinhos, o fato de elaborarem alguns vinhos com varietais com uvas autóctonas espanholas, e finalmente com suas garrafas únicas. De lá para cá provei seus vinhos em diversos eventos dos quais a marca participou através de seu importador a World Wine, mas sempre com um ou dois vinhos. Desta forma fiquei muito satisfeito em receber convite para conhecer a nova linha com a presença de seu export manager Hugo Urquiza que já havia tido o prazer de conhecer no primeiro encontro. 

Projeto Vivanco como marca de vinho começou em 2004, mas a origem do envolvimento de seu proprietário Pedro Vivanco se inicia em 1915, ano em que começou a produzir vinhos para seu consumo próprio, ganha maior força em 1950 quando compra uma loja para vender seus vinhos para consumidores finais assim como para distribuir os mesmos  para bares e restaurantes, e seu sucesso foi tão grande que Pedro se tornou o maior distribuidor de vinhos da Espanha com 80 pct do volume produzido no país passando por suas mãos. Nos últimos 35 anos seus herdeiros adquiriram muitas terras nas 3 regiões que formam a Rioja ( Rioja Alta, Rioja Baixa e Rioja Alavesa), e nesta 4ª geração a família decidiu iniciar a comercialização de vinhos com a marca própria.  Outra paixão da da família e arte e possuem u maior museus de história do vinho do mundo com área ocupada de 4 mil metros quadrados recheados de obras de arte que tem como tema o vinho, além de possuir a bodega mais antiga da Rioja, construída na época do império romano,  encontrada dentro de um dos vinhedos de propriedade da família.
Durante nosso encontro tivemos o prazer de participar de uma degustação vertical com 5 safras do Colecction Vivanco 4 Varietales, vamos a eles :


Vivanco 4 Varietales 2005 - Safra fresca considerada uma safra perfeita. Corte com 70% Tempranillo, 15% Graciano, 10% Garnacha, e 5% Mazuelo, com passagem de 24 meses de barrica novas francesas, e 14,5% de álcool . Rubi indo para granada, halo de evolução. Frutas negras maduras, especiarias, cereja, café, ponta herbácea, menta, tostado, e leve baunilha. Na boca, ótima acidez, taninos muito finos, corpo médio, retrogosto frutado, com toque de piche, delicioso. Nota 91/100. Um vinho maduro,aveludado no ponto certo para ser tomado.

Vivanco 4 Varietales 2007 - Safra continental, com  verão quente e inverno fio , considerada safra muito boa. Corte com 75% Tempranillo, 11% de Graciano, 11% de Garnacha, e 3% de Mazuelo, com passagem de 20 meses por barricas francesas novas, e 14,5% de álcool. - Rubi alta concentração, leve halo.  Frutas negras e vermelhas azedas, pimenta preta, menta, coco, baunilha, e toque de pólvora. Boa acidez, taninos finos e mais intensos que o anterior, corpo médio para amplo, retrogosto frutado e alcaçuz Nota 91/100 Foi o que mais me lembrou um Rioja tradicional

Vivanco 4 Varietales 2008 - Safra Atlântica com mais umidade e chuva,  temperatura média mais baixa, verão fresco, considerada safra muito boa - Corte com  70% de Tempranillo, 15% Graciano, 10% Garnacha, e 5% Mazuelo, com 20 meses de barricas francesas, e 14% de álcool. - Rubi ainda com violáceo, alta concentração sem halo. Olfativamente, mais mineral, frutas negras azedas, floral,  ligeiro balsâmico, menta, e defumado. Ótima acidez, tânico ainda não pronto, corpo médio, final de boca mais mineral e fresco com ponta de grafite e fruta com ligeira evolução. Nota 89/100 Um vinho interessante com nariz mais mineral e limpo, mas com a boca apresentando frutas com ligeira evolução.  

Vivanco 4 Varietales 2010  - Safra Atlântica com inverno frio e chuvoso também considerada muito boa. Corte com 75% Tempranillo,13% Graciano, 10% Garnacha, e 5 % de Mazuelo, com passagem de 18 meses por barricas francesas sendo 50% novas e o restante de segundo uso, com 14% de álcool. - Rubi brilhante, alta concentração, sem halo. Frutas negras, amora, herbáceo, pimenta preta, tostado delicado,  menta, e defumado. Acidez cortante, taninos finos ainda ligeiramente verdes, ponta de álcool, final de boca com frutas negras e alcaçuz. Nota 92/100 Vinho jovem, mais austero,com grande potencial , meu favorito

Vivanco 4 Varietales 2012 - Safra Mediterrânea com  pouca chuva, e quente  com 1 grau acima da média, verão quentem considerada safra muito boa, Corte com 75% de Tempranillo,15% Graciano, 4% Garnacha e 6% Mazuelo , com passagem de  16 meses de barricas  novas e de 2 uso francesas. Com 14% de álcool. Violáceo brilhante, alta concentração. Frutas vermelhas e negras, floral, mineral, leve herbáceo, seco. Na boca, boa acidez. taninos presentes, corpo médio, final de boca ainda rascante e bem mineral Nota 91/100 Um  vinho vertical, direto, menos frutado e mais mineral pedindo anos de garrafa mas com grande potencial.

A World Wine ainda tem em seu estoque as safras 2008, poucas garrafas e a 2010 a R$ 428,00

Durante o almoço provamos:


Vivanco Blanco 2015 – Corte com 50% Viura, 15% Maturana Blanca,  e 35% Tempranillo Blanco, com 13% de álcool, sem passagem por madeira - Palha verdeal brilhante. Maracujá, maça verde, floral intenso, mel, lavanda. Ótima acidez, fresco, corpo médio, final de boca sutil com floral bem agradável – R$ 95,70

Vivanco Reserva 2008  - Corte com 90% Tempranillo e 10% Graciano com passagem de 24 meses por barricas de 1 e 2 uso , mais 2 anos de garrafa e 13,5 % de álcool. – Rubi indo para granada, intenso, halo de evolução. Frutas vermelhas  maduras, terroso, balsâmico, coco, e baunilha. Boa acidez, taninos finos, corpo médio, retrogosto com fruta vermelha, coco e baunilha. Vinho fácil de beber 

World Wine – Site: www.worldwine.com.br  - Fone (011) 3383 9300 

Nenhum comentário:

Postar um comentário