18 de mar de 2016

As pricesas e o plebeu

Pricesa Natalia WTommasi e Princesa Irina 

Em minha recente viagem a Itália tive o prazer de conhecer e jantar com  pricesa Irina Strozzi, em evento organizado pelo Consórcio da Vernaccia di San Gimignano, Irina tranbordou simplicidade e simpatia e me informou que iria ao Brasil para divulgar seus vinhos em Março e que gostaria de contar com minha presença. Ontem  foi o dia em que ela e sua irmã Natalia apresentaram seus produtos a mídia especializada de São Paulo em almoço organizado por seu importador exclusivo  “Itália Mais “ . A vinícola tem mais de mil anos de existência e sua Vernaccia começou a ser produzida a partir do ano de 1200 tendo sido consumida e comentada por por pessoas ilustres como Dante Alighieri, Michelangelo e Boccaccio. O titulo de nobreza Strozzi Guicciardini também liga a família a “Mona Lisa”retratada por Leonardo da Vinci. Gioconda também conhecida por Mona Lisa na verdade se chamava Lisa Gherardini  da qual Irina e Natalia são descendentes da 15ª geração. Certamente uma longa história que passa também pelas disputas dos Strozzi Guicciardini com os Medici que mesmo “inimigos” diz a historia , consumiam e presenteavam os amigos com as Vernaccias produzidos pelos Strozzi. A historia e tão rica e antiga que certamente daria matéria para um livro, como não temos espaço para isto vamos voltar aos dias de hoje e conhecer os vinhos  provados ontem:


Cusona Brut Spumante di Vernaccia – Elaborado pelo metodo Charmat custa no Brasil de R$ 190 a 220. - Palha brilhante, perlage intenso, com bolhas pequenas . Olfativamente marcado por aromas de amendoas  frutas agri doces como a  jaca, massa de vidraceiro, e leveduras. Na boca macio, acidez correta, mousse generosa,  corpo médio, retrogosto  frutado com leve ponta de amendoas.  Nota 88/100







Arabesque Vermentino 2014 – Corte com 85% de Vermentino e 15% de Sauvignon Blanc sem passagem por madeira.  Preço estimado de R$ 80 a 100 - Palha verdeal  bem brilhante. Mineral, limpo folha de limoeiro, mineral salgadinho. Na boca, fresco,  direto  acidez correta ,corpo médio, final de boca fresco e cítrico. Vinho de entrada, muito bem elaborado para quem gosta pede frescor nos vinhos brancos. Nota  87/100







Vernaccia di San Gimigniano 1933 Cusona 2013 – Varietal 100% Vernaccia com dois meses de barrica R$ 200  Dourado, ralo, brilhante. Marcado por aromas florais, especiarias como a pimenta branca, floral, e mineral com salgado intenso. Ótima acidez, boa estrutura, ligeira  tanicidade ,corpo médio para amplo, retrogosto frutado com evolução. Um vinho classudo com tudo no lugar, mostra o potencial da variedade.  Nota 88/100






Momi Rosso di Marema Toscana 2013 – Corte de Sangiovese, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Montepuilciano D’Abruzzo  com leve  passagem por  barrica. Preço R$ 240. – Rubi, média concentração, sem halo. Frutas negras frescas. leve tostado, mineral, grafite, pimenta branca.  Na boca, otima acidez, taninos finos, levemente quente,  corpo médio retrogosto frutado e  mineral. Vinho gostosoe gastronômico -  Nota  88/100






Sòdole Rosso 2009 – Varietal 100% Sangiovese com 12 meses de barrica francesa R$ 334 - Rubi extra tinto sem halos. Olfativamente com muita tipicidade, violetas, frutas negras maduras, tostado, ervas, pimenta, e  alcacuz. Na boca ,como era de se esperar, ótima acidez, taninos finos ainda presentes, pontinha de álcool,  retrogoato frutado com toque tostado e ligeiro amargor final. Delicioso Sangiovese com muita tipicidade Nota 89/100






Ocra Bolgheri Rosso 2014 – Corte com 40% de Cabernet Sauvignon, 40% Merlot e 20% Syrah e 12 meses de barricas francesas. R$ 250 - Rubi sangrento, média concentração sem halo. Olfativamente limpo, bem floral com  violetas e rosas, frutas vermelhas e ervas aromaticas. Na boca. elegante, ótima acidez ,taninos finos ainda presentes, corpo médio , fresco, final de boca delicada com tinta de caneta. Um Bolgheri surpreendentemente delicado, talvés seja devido a safra, mas devo dizer que me encantou , um ótimo custo benefício.  Nota  90/100






Vignaré Bolgheri Superiore 2011 – Corte com 30% Sauvignon Blanc, 30% Cabernet Franc, e 40% Merlot com 18 meses de barrica nova francesa – R$ 500 -  Rubi ,boa concentração, sem halo. Vinoso, especiarias, grafite, tostado, frutas negras azedas. Na boca, boa acidez,  tânico, corpo médio, final de boca fresco e suculento com boa fruta, mas para mim com  excesso de madeira. Nota 89/100








Milleanni 2007 Supertoscano – Corte com  70 Sangiovese, 20%  Cabernet Sauvignon, e 10% Merlot com um ano de de barrica francesa nova. Rubi indo para granada, halo de evolução , Olfativamente complexo,cereja no licor, herbáceo,  chocolate, pimenta, e floral. Na boca, ótima acidez , taninos finos, corpo amplo, suculento final de boca fresco  com frutas já com ligeira evolução. Vinho prontissimo para consumo . 91/100








O importador da Strozzi Guicciardini no Brasil é a ITÁLIA MAIS  que importa apenas vinhos italianos e que tem em seu portrfólio 19 produtores das regiões da Toscana, Veneto e Sicília. Eles não tem venda direta a consumidor final pois focam nas operações diretas com restaurantes e comercio especializado em vinhos. Parabéns a Itália Mais por mais esta parceria


ITÁLIA MAIS : Site www.italiamais.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário