9 de fev de 2016

Pois Pois 5 Final - Vinhos Verdes


Foi por causa desta região que muitos de nós passaram a conhecer os vinhos portuguêses ainda na época onde as importações de vinho eram difíceis  por estas bandas . Quem não lembra dos famosos Casal Garcia, Gatão, Casal Mendes , Calamares, Magriço que eram comemorados nas mesas dos portugûeses que aqui viviam e brasileiros que davam seus primeiros passos no mundo dos vinhos europeus , dentre eles eu. Localizada no norte de Portugal na fronteira com a Espanha , onde encontramos  Melgaço e Monção ,  a oeste onde é banhado pelo oceano Atlântico até perto da cidade do Porto, e ao centro em volta do rio Minho que banha seu lindo vale. A denominação é dividida em 9 sub regiões ( Monção, Melgaço, Lima, Cávado, Ave, Basto, Sousa, Baião, Paiva e Amarante, seu clima é predominantemente úmido, com  solos  quase totalmente graníticos . As principais castas brancas são a complexa Alvarinho, a Arinto, Avesso, Azal, Loureuro, e Trajadura. Entre as tintas, a maioria ainda pouco conhecidas:  Alvarelhão, Amaral, Borraçal, Espadeiro, Pedral, Rabo de Anho, e Vinhão.  Para aqueles que só tomaram os rotulos acima citados, que eram marcados pelos aromas perfumados, pela levesa, frescor, certa agulha, certamente se surpreenderão com a complexidade e qualidade dos atuais Alvarinhos, Loureiros, e Arintos, para mim uma das 5 melhores origens ede vinhos brancos do planeta. Foi nesta região tivemos duas visitas:

Quinta da Lixa de propriedade da famila Meireles , moderna extremamente bem administrada, preocupada com o meio ambiênte e com extremo cuidado com todos os detalhes que fazem parte do processo produtivo ,desde os tratos culturais à embalagem final de seus produtos, e com a grande vantagem , expressa em sua Missão, de comercializar os vinhos, de uma forma COMPETITIVA.
Foi no moderno Hotel Monverde no qual nos hospedamos, uma das propriedades  desta vinicola  que tivemos uma intensa prova  de sua linha de vinhos, muito bem conduzida pelo enólogo da casa o competente e didático Carlos Teixeira, e que já aproveito para recomendar para aqueles que decidirem visitar a região.  Meus favoritos: Quinta da Lixa Branco um corte com Loureiro 45% Trajadura 40%  e Alvarinho 15%  , e Quinta da Lixa Loureiro 2015 ambos ao custo de 5 Euros.

Sera que o Hobbyt morava por aqui ?
No dia seguinte nossa última parada e desta vez na estupenda sede da Quinta da Aveleda que pertence a famila Guedes desde 1870 e que mereceu  atenta e minuciosa visita guiada pelo gestor de clientes Francisco Guerreiro, que calmamente nos contava as inúmeras  historias que o local carrega consigo. Como a Janela Manuelina do séc. XVI: onde, segundo a história, D. João IV terá sido aclamado Rei de Portugal, mais tarde, oferecida a Manuel Pedro Guedes da Silva da Fonseca, que a transportou para os jardins da Quinta da Aveleda. Outras construções  visitadas, foram as casinhas que eu apelidei de Casinhas do Hobbyt, e  uma torre marcada pelo simbolismo, a Torre das Cabras contando com três andares para albergar cabras anãs. Estas cabras são símbolo de fertilidade e abundância, que a famila sempre quiz preservar.
  De seu exemplares  degustados  me agradaram muito o Aveleda Branco 2014, um corte de Loureiro 80% e Alvarinho 20%  com 11,5% de alcool , e como nao podia ser diferente do delicioso Follies Touriga Nacional 2011 .


E foi assim com muito frescor,  histórias e descontração que esta viagém se encerrou. Meus agradecimentos  a Vini Portugal pelo gentil convite, a Sônia pela paciência e um até breve afinalPortugal merece ainda mais visitas  Pois Pois .

Nenhum comentário:

Postar um comentário