22 de dez de 2015

Doña Paula um Show de competência


Como jornalista especializado em vinhos recebo muitos delicioso convites para almoços e jantares para apresentação de novas linhas de produtos , novos rotulos, novo enologo etc etc etc. Também temos as sempre esperadas feiras de vinhos organizadas pelos importadoresque se tornam oportunidade únicas entendermos as tendências do mundo do vinho, mas palestras técnicas e workshops ainda não são tão popuares. Recentemente recebi o convite da  Doña Paula para participar de um Workshop de dois dias aqui em São Paulo e devo dizer que a experiência foi muito instrutiva e gratificante. O temas do mesmo foram “Blends”,Influência do clima e do solo na Malbec, o papel dos vinhos sul americanos no Brasil, o futuro dos vinhos brancos argentinos, encerrando com os vinhos de terroir do velho e do novo mundo. Os palestrantes foram Dirceu Vianna Jr (MW), Tim Atkin (MW), Andrés Rosberg (Presidente da Associação Argentina de Sommeliers), Martin Kaiser (Agronomo  Doña Paula), Marcos Fernandes ( Enólogo Doña Paula) e Carlos Cabral( Grupo Pão de Açucar).
Para este post vamos concentrar no primeiro tema “ Marca do Terroir nos Blends”  apresentado por Marcos Fernandez enologo da Doña Paula, com o qual  provamos às cegas 6 vinhos servidos em dois flights :
Fatos importante na elaboração de um Corte, Assemblage ou  Blend:
A ideia de elaborar um blend passa por dois objetivos principais : Maximização de aromas e sabores tornando o vinho olfativamente mais complexo .
Correção de pequenos defeitos de cor, álcool, acidez, taninos, e outros do vinho que serve como base.

Marcos Fernandes nos deu sua formula ideal:
Mistrar as qualidades únicas de um terroir incluido as variedades de uva que melhor se adaptam a ele.
Atingir perfeito balanço e equilibrio na boca
Obter complexidade aromática
Consistência de estilo

Vamos aos dois flights servidos ás cegas e que tiveram os comentários técnicos dos outros convidados que compuseram a mesa, devo dizer que me impressionou a assertividade dos dois Master Wine em descobrir a orígem e  possiveis uvas usadas no blend de  cada um dos vinhos servidos . Vamos a eles

FLIGHT 1

1) Amauta Corte IV 2013 El Porvenir 50% Cabernet Franc  e 50% de Malbec  com 14,5% de álcool  com 18 meses de barrica. – Rubin extra tinto, sem halo. Complexo lembra um bordeaux  frutas mais evoluidas, ameixa , tostado, ervas escuras, azeitonas , e cha preto menta . Ótima acidez, taninos presentes mas finos, encorpado, retrogosto frutado ,suculento, longo. Mais alcoolico mostrando sua orígem de zona mais quente . Nota 91/100
2) Cocodrillo 2013 Viña Cobos - Corte com 70% Cabernet Sauvignon, 10% Petit Verdot, 10% Merlot,  e 10% Malbec  com 14,5% de álcool e 15 meses de barrica francesa  sendo  10%  de origem  americana – Rubi extra tinto,sem halo. Mais limpo, delicado, frutado, tostado, chocolate, baunilha, mineral, e menta. Boa acidez, taninos finos ,pontinha de álcool, final de boca frutado com ligeira menta e pedra molhada Nota 90/100
3) 1350 Doña Paula 2013 Finca Alluvia  - Corte com 50%  Cabernet Franc, 45% Malbec, e 5% Casavecchia , com 14,5% de álcool e 16 meses de barrica francesa sendo   30% nova. – Violaceo,  extra tinto sem halo,. Frutas negras frescas, mineral, menta ,nariz muito limpo,  certo grafite. Boa acidez,  taninos finos mas ainda sensiveis , corpo médio,  final de boca mais mineral lembrando grafite. Vinho limpo, fresco, muito agradável  Nota 92/100

FLIGHT 2

1) Tito Zuccardi Paraje Altamira 2013 – Corte com 80% Malbec , 10% Cabernet Sauvignon,e  10% Ancelotta, com 14,5% de álcool e 18 meses em barricas  francesas para 50% do volume semdo que o restante em tanques de 50 cimento. – Violáceo, extra tinto, sem halo. Herbáceo, cereja, balsâmico, pimenta, fruta negra, menta,  mais limpo.  Boa acidez, taninos ainda verdes mas finos, corpo médio , final de  boca frutado com fundo defumado e alcoolico. Um vinho de potencial mas que clama por mais tempo em garrafa. Nota 88/100
2) Dona Paula 1100 Finca los Indios 2013 – Corte com  60% Malbec, 30% Syrah, e  10% Cabernet Sauvignon, com 14,5% de alcool e 16 meses em barricas francesas sendo 30% novas. – Violáceo, extra tinto, sem halo. Frutas negras, ligeiro confitado, chocolate, azeitona, evas aromaticas. Mais direto, boa acidez, taninos verdes, seco , adstringente , final de boca fruta negra com toque defumado. Mais um vinho vigoroso que precisa maturar em garrafa, masi gastronômico. Nota  89/100
 3) Gran Reserva del Fin del Mundo 2012 – Corte com  37% Malbec,24% Cabernet Sauvignon,, 21% Merlot, e 18% Cabernet Franc , com 14,50 de álcool, e  18 meses em barricas francesas. - Rubi, média concentração, leve halo. Frutas vermelhas maduras com ligeira evolução. Azeitonas pretas, mais frutado, tostado , ervas escuras . Redondo, taninos finos pontinha de ‘;alcool,  macio,  final boca suculento e frutado.  Surpreendentemente evoluido pela idade, em momentos chegou a lembrar um Rioja. Nota 89/100.

No próximo post descreveremos outra palestra e seus vinhos degustados.

Parabéns a Doña Paula pelo excelente seminário, foi  um prazer fazer parte deste grupo.


Doña Paula – Site http://www.donapaula.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário