28 de mai de 2015

Presidente do IVPD Manoel de Novaes Cabral na Casa do Porto

Pericles e Manuel 

Tive o prazer de conhecer o comunicativo Manuel de Novaes Cabral atual presidente do IVDP ( Instituto dos Vinhos do Porto) em sua breve visita ao Brasil, em degustação de vinhos organizada por Pericles Gomes em sua aconchegante Casa do Porto.
O IVDP tem um papel muito importante por promover e controlar a qualidade e quantidade dos vinhos do Porto, desde oprocesso produtivo, assim como a proteção e defesa das denominações de origem Douro e Porto e indicação geográfica Duriense.
O Douro é dividido em 3 principais áreas, o Baixo Corgo, o Cima Corgo e o Douro Superior que juntos tem 42.mil hectares de parreirais que produzem 140.300.m litros de vinho por ano dos quais 45.000 m de vinhos DO e 73.000m de vinhos generosos e porto.
Os Vinhos do Porto podem ser divididos em
Estilo Ruby - Vinhos fortificados onde se procura  manter o aroma frutado e vigor dos vinhos jovens, normalmente são só envelhecidos em Dornas, dividem-se em  Ruby, Reserva, Late Bottled Vintage (LBV) e Vintage. Os Vintage, e em menor grau o LBV, podem ser tomados imediatamente mas ganham seu apíce quando guardados por muitos anos.
Estilo Tawny - Vinhos envelhecidos em Dornas e posteriormente em cascos ou tonéis. Apresentam evolução de frutas causada pela maior oxidação e seus aromas lembram os frutos secos e a madeira. Os Tawny são divididos em: Tawny, Tawny Reserva, Tawny com Indicação de Idade (10 anos, 20 anos, 30 anos e 40 anos) e Colheita. Devem ser tomados mais velhos quando ganham ainda mais complexidade
Brancos – Vinhos  elaborados apenas com o mosto das uvas sem contato deste com as cascas ,  envelhecido em Dornas de carvalho de 20 mil litros ou mais. Normalmente são vinhos jovens e frutados , sendo os  únicos  vinhos de Porto categorizados pelo seu grau de dulçor:  brancos secos, meios-secos e doces.
Rosé – Vinhos obtidos pela maceração pouco intensa de uvas tintas sem a presença de oxidação durante a sua conservação. Adequados para serem consumidos novos e altamente frutados . Recomenda-se que seja tomados refrescados ou até mesmo com gelo, podendo ainda ser servidos em diversos cocktails.

Após a instrutiva apresentação de Manoel Novaes, o enólogo Pedro Carvalho nos guiou por uma série de Portos, vamos aos mesmos

 Porto Branco Reserva  Especial Andersen 1973 com 20% de álcool engarrafado em 2014 - Ambar ralo, brilhante, leve toque verdeal. Figo seco, tâmaras, ponta herbácea. Na boca,  delicado, redondo, boa acidez álcool ok, final de boca com mel nozes e figo seco . Um porto branco vibrante que agradou a todos Nota 93/100








Quinta da Pedra Alta LBV 2005 com 19,5% de álcool - Rubi, extra tinto, leve halo. Fechado, frutas negras, álcool mais presente no nariz, violetas, tostado,e ligeira  menta. Acidez média, tânico, bom corpo, final de boca frutado ainda com aresta,s muito novo para ser apreciado. Nota  88/100









Quinta de Ventozelo Porto Vintage 2002 , com 20% de alcool – Rubi, média concentração, brilhante. Floral, herbáceo, frutas negras, e lavanda. Na boca, boa acidez, sensação de álcool presente. Na boca, acidez correta,corpo médio, retrogosto frutado bem adocicado com ligeira aspereza . Nota 89/100









Taylors 10 anos Tawny  com 20% de álcool – Granada, ralo, bom halo. Frutas vermelhas, terroso, floral, leve herbáceo, e uvas passas. Na boca, ótima acidez, elegante, alcool ok, corpo médio, retrogosto frutado, com  toque terroso,  figos secos, e madeira mais presente Nota 91 /100









Eirados 10 anos Tawny  com 19,5%  de álcool engarrafado em 2014- Granada brilhante, ralo ,toque verdeal. Olfativamente, delicado, figo seco, azeitonas, tostado, floral, e pontinha de mel de laranjeira. Na boca, elegante, redondo, corpo médio, retrogosto frutado com  figo, tâmara , e ameixa . Um vinho muito delicado e elegante . Nota 92/100









Casa Santa Eufemia10 anos com 19,5% de álcool – Granada, ralo, verdeal. Complexo, ameixa, figo , leve herbáceo, feno, terroso e tostado. Na boca, elegante,delicado, corpo médio retrogosto  ameixa figo e passas sem sensação de álcool Um vinho senhoril, mais evoluidos e  elegante, sensacional Nota 93/100  









A seguir fomos para um delicioso almoço acompanhado por

Encostas da Pedra Alta Douro 2013 um corte de Malvasia Fina, Gouveio e Rabigato com 13% de álcool - Palha verdeal, brilhante. Olfativamente marcado pelos aromas cítricos e minerais que em momentos me lembraram um bo sauvignon blanc. Na boca, seco, acidez média , corpo leve e  retrogosto cítrico.









Monte Cruz Alentejo 2007  um corte de Syrah, Cabernet Sauvignon, e Alicante Bouchet com 14% de álcool- Violáceo, extra tinto, sem halo. No nariz , frutas negras, tostado, toque herbáceo. Na boca , austero, boa acidez, taninos finos, corpo médio, ponta de álcool, e  retrogosto  frutado.









Porto Estação Vitivinícola do Douro 1957  - Ambar com toques verdeais, halo intenso. Olfativamente complexo, ameixa seca, , figo ramí,  terroso, e leve  herbáceo. Na boca, ótima acidez, vivido, potente, com retrogosto confirmando o nariz e final de boca muito agradavel

Parabéns ao Péricles por mais este evento


Casa do Porto – Site: www.casadoporto.com – Fone (011) 3061-3003

Nenhum comentário:

Postar um comentário