8 de fev de 2014

Louis Latour, sempre bom tomar um Borgonha


W Tommasi e Bruno Pepin



Borgonha está certamente entre minhas duas regiões favoritas na elaboração de vinhos no mundo, com a vantágem de nos oferfecer tanto brancos como tintos de alta estirpe e que evolui muito com o passar do tempo. A região é conhecida como o reduto de pequenos produtores de personalidade marcante mas o passar do tempo tornou muitos  “ négociants” também ótimos produtores (éléveurs) , e um dos nomes mais respeitados é exatamente a Louis Latour que desde o século 17 encanta o mundo com seus vinhos. A empresa possui 50 hectares de vinhedos dos quais 28 são Grand Cru na região de Côtes D’Or, mas a cada dia expandem mais sua atuação , sendo suas duas últimas aquisições realizadas na região de Chablis e de Beaujolais. Nesta semana recebemos a visita de Bruno Pepin Diretor Comercial, e Vladimir Galvan Gerente de Exportação da empresa com os quais participamos de deliciosa degustação de 3 de seus rotulos , sendo dois exemplares de cada rotulo, organizada na La Cave du Sommelier do frances Stéphane Chauvel, localizada na Alameda Campina 884. Vamos aos vinhos provados :


Meursault Blagny Premier Cru Chateau de Blagny 2003 - 13,5 % de álcool (Maison) - Dourado brilhante.Olfativamente marcado pelos aromas florais, lirios, abacaxi maduro bem delicado, e baunilha. Na boca. acidez média, amanteigado, bom corpo, retrogosto com avelã e abacaxi. Vinho muito redondo e agradável.Vinho bom para ser tomado sem comida, faltou um pouco de acidez certamente por vir de safra mais quente. R$ 393,00 - Nota 90

Meursault Blagny Premier Cru Chateau de Blagny 2011 - 13,5 de álcool. (Maison) - Palha brilhante. No nariz trazendo muita mineralidade, floral, e limão siciliano. Na boca ótima acidez seco, tânico, corpo médio, retrogosto mineral. Vinho ainda jóvem de safra padrão na região, mas muito agradável ,mostrando certo potencial de guarda. Definitivamente um bom vinho, mas não exepcional. -  R$ 393,00 - Nota 92

Corton Charlemagne Grand Cru 2006 -14 de álcool  -  Dourado bem brilhante. Frutas brancas e amarelas com ligeira evolução, tostado, floral, terroso, ligeira acidez volátil.. Na boca, potente, alta acidez, ponta de álcool, encorpado, retrogosto com frutas maduras e tostado lembrando madeira velha . R$ 1035,00 – Nota 91

Corton Charlemagne Grand Cru 2008 – 14% de álcool - Dourado  brilhante. Complexo, floral, mineral, borracha, petróleo, abacaxi, e avelã. Na boca, acidez cortante, seco, elegante, fresco corpo médio, retrogosto bem mineral com pedra molhada. Um vinho que irá evoluir muito, ainda em seu estágio mais mineral bem no estilo  Dry Bone , Meu favorito de longe. Nota 94

Chateau Corton Grancey Grand Cru 2002  - 14% de álcool. - Blend de 5  grand crus - Granada ralo, leve halo de evolução. Vinoso, frutas negras ácidas, menta, e tostado delicado, Na boca austero, ótima acidez, taninos ainda presentes, corpo médio, retrogosto frutado com ligeiro tostado e alcacuz. Um vinho que precisa de tempo em decanter ou taça para se revelar, muito agradável. – R$ 740,00 - Nota  92

Chateau Corton Grancey Grand Cru 2010 740 - 14% de alcool Rubi indo para granada bem ralo. Frutas vermelhas maduras, ameixa, terroso, fosforo, e couro. Na boca boa acidez, taninoa marcados, corpo médio para amplo, retrogosto frutado ainda bem tânico, alcacuz. Típico Pinot Noir borgonhes com muito potencial de gurda mas ligeiramente  mais alcoolico. R$ 740,00 - Nota  92
Os vinhos da Louis Latour são trazidos ao Brasil com exclusividade pela Aurora/ Inovini.

Inovini – Site www.aurora.com.br – Fone (011) 3623-2280

Nenhum comentário:

Postar um comentário