20 de jan de 2014

Acabou a moleza


Pois é e o tempo de festas acabou, e com elas minha preguiça de escrever, hore de trabalhar. Neste  fim desta semana  vou ao Uruguai para a feira de vinhos em Cidade del Este, e no mes que vem Itália para os anteprimas toscanos que me impossibilitaram aceitar convite para visitar o Chile, portanto mãos a obra. Bem devo dizer que durante as festas provei muitos vinhos, mas todos de forma "sou consumidor"como consequência não tomei nota de nada, da-lhe preguiça. Portanto começo o ano com um vinho queprovei ontem por conta da festinha de despedida da minha filhota Marina que foi para os EUA fazer curto curso de especialização em arquitetura em S Francisco e quem sabe arrumar um job em uma terra mais segura que nossa cada vez mais violenta São Paulo. O vinho que quero comentar hoje é o

Borie la Vitarele Les Cres 2006 - 14,5 % de álcool– Appellation de Saint Chinian em Languedoc Roussillon . Tradicional  (GSM) , corte de Grenache, Syrah, Mourvedre que costuma nos oferecer vinhos bem robustos mas que costumam ganhar um pouco mais de elegância quando provado com certo tempo de guarda. Comprei esta “amostra”no Bota fora da WW para ver se o vinho já estava pronto para o consumo e me animar com nova compra. Resumo da opera, como era de se esperar o vinho tinha cor rubi extra tinto com cara de  Cabernet chileno. Nariz muito agradável com frutas vermelhas no licor, a boa mineralidade com grafite e pimenta preta. Na boca , boa acidez, os esperados taninos doces estavam lá, assim com o corpo intenso, e o final frutado, mas o álcool estava em excesso tornando-o pesado para consumo de mais de uma taça O vinho passou por cima do meu Penne com Brocolli e Kasler, e do meu Cupim com sal defumado, mas combinou perfeitamente com a Caponata da mamma. Vinho que precisa mais tempo de garrafa para perder o álcool mas onde  a falta de taninos talvés não permita sua maturação correta e guarda mais longa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário