1 de nov de 2013

Montes "M" e Clos Apalta duas verticais de fechar o comércio

Aurélio Montes Jr e Charles Henri Lapostolle

A Mistral tem um portfólio tão fantástico que pode se dar ao luxo de organizar eventos inimagináveis. Na semana passada tive o prazer de participar de um jantar com dois dos melhores produtores do Chile, a Montes e a Casa Lapostole, e Ciro Lilla não se contentou apenas em fazer uma apresentação conjunta de seus produtos, mas surpreendeu a todos  trazendo  a nova geração de ambas as casas: Aurelio Montes Jr. representando  a Viña Montes, e Charles-Henri de Bournet Marnier Lapostolle representando a  Casa Lapostolle que nos  guiaram em duas magníficas verticais de seus  mais prestigiados vinhos. Uma atitude bem contemporânea e inteligente que comprova que mesmo concorrentes sempre existe a possibilidade de divulgação conjunta visto os dois vinhos serem de alta qualidade mas terem caracteristicas diferentes entre si, sendo a única coincidência ambos serem elaborados com uvas da região de Apalta.

 De um lado tivemos a Viña Montes com seus fantásticos Montes Alpha M 2000, 2004, 2007 e 2010, e de outro a Lapostolle com seus deliciosos e  austeros  Clos Apalta 2000, 2004, 2007 e 2010.


Vamos aos vinhos da Montes


Montes M 2000 – Corte com 80% Cabernet Sauvignon, 10% Cabernet Franc , 5% Merlot, e 5% Petit Verdot , 14% de álcool e passagem de 18 meses em barricas francesas novas. – Granada média concentração halo intenso. Olfativamente frutas vermelhas evoluidas, tabaco, terroso, e ervas secas. Na boca boa acidez, taninos domados, ainda com bom corpo, longo com final de boca confirmando o nariz. Vinho vivo que manteve a qualidade apesar dos anos, foi um de meus favoritos comprovando que chilenos tambem fazem vinhos de guarda.

Montes M 2004 – Corte com 80% Cabernet Sauvignon, 10% Cabernet Franc , 5% Merlot, e 5% Petit Verdot , 14,5% de álcool e passagem de 18 meses em barricas francesas novas. – Rubi indo para granada alta concentração halo de evolução. Olfativamente frutas vermelhas maduras, menta, tabaco, pimenta e tostado. Na boca boa acidez, taninos presentes, bom corpo, estruturado com final de boca ligeiramente rústico. Vinho de alta qualidade mas com mais estrutura, taninos ,e peso que o anterior.

Montes M 2007 – Corte com 80% Cabernet Sauvignon, 10% Cabernet Franc , 5% Merlot, e 5% Petit Verdot , 15% de álcool e passagem de 18 meses em barricas francesas novas. – Rubi extra tinto, leve halo de evolução. Olfativamente frutas vermelhas maduras, com toque adicicado, menta, , pimenta e café. Na boca boa acidez, taninos presentes, rcorpado, quente com final de boca bem frutado, toque doçe e tostado. Vinho estilo  chilenão, ano de clima quente está fácil de ser percebido no vinho.


Montes M 2010 – Corte com 80% Cabernet Sauvignon, 10% Cabernet Franc , 5% Merlot, e 5% Petit Verdot , 14,9 % de álcool e passagem de 18 meses em barricas francesas novas. – Rubi alta concentração, semhalo de evolução. Olfativamente frutas vermelhas, cassis,  pimenta, canela, menta e café. Na boca alta  acidez, taninos jovens mas muito finos, corpo médiocom retrogosto marcado pelas frutas frescas e mineralidade.  Vinho bem  elegante que empatou com o exemplar 2000 na ,inha preferência e que promete guarda longa. Delicioso. 

Vamos agora ao Clos Apalta

Clos Apalta 2000 – Corte com 65% Merlot/Carmenère, e 35% Cabernet Sauvignon, com 21 meses de passagem por barricas francesas. Rubi, denso , leve halo de evoluçao. Nariz fresco, frutas negras, chocolate, e mineral, grafite, ligeiro tostado. Na boca austero, ótima acidez, taninos finos, elegante, corpo médio retrogosto com frutas negras e cocolate amargo. Um vinho encantador que não mostra sua idade, e que tem longo potencial de guarda ainda. Foi meu favorito

Clos Apalta 2004 – Corte com 84% Carmenère-Merlot, 16% Cabernet Sauvignon., com 20 meses de passagem por barricas francesas sendo 70 pct novas. Rubi, alta concentração , leve halo de evoluçao. Nariz com bastante intensidade frutas negras maduras, floral, pimenta e mineral. Na boca austero, ótima acidez, taninos finos presentes, um pouco mais pesado, encorpado, retrogosto com ameixa preta e cocolate amargo. Um vinho onde senti um pouco mais os taninos e as frutas maduras.

Clos Apalta 2007 – Corte com 61% Carmenère, 24% Cabernet Sauvignon, 12% Merlot, 3% Petit Verdot, com 24 meses de passagem por barricas francesas novas. Violaceo indo para rubi, alta concentração, sem halo. Olfativamente complexo, frutas  negras maduras, grafite, mineral,  pimenta e baunilha. Na boca, redondo, ótima acidez, taninos suculentos, quente, concentrado, retrogosto com frutas madurastoque de menta. Um vinho redondo bem mais estruturado, frutado e pesado.

Clos Apalta 2010 – Corte com 71% Carmenère, 18% Cabernet Sauvignon and 11% Merlot,com 24 meses de passagem por barricas novas  francesas. Violaceo, extra tinto , sem  halo de evoluçao. Nariz complexo, limpo, mineral, grafite, frutas negras frescas, especiarias, pimenta, cravo, leve tostado. Na boca austero, redondo, ótima acidez, bom corpo, estruturado, taninos muito finos, retrogosto com frutas negras frescas e muita mineralidade. Um vinho com tremendo potencial de guarda mas que já dá prazer ao ser tomado hoje. Que bela safra foi 2010 para esta região de Apalta. Foi meu segundo entre os Clos Apalta mas acho até que tem mais potencial que o 2000.




Uma noite para ser guardada na memória !


Mistral-  Site: www.mistrallcom.br – Fone:  (011) 3372 3400

Nenhum comentário:

Postar um comentário