9 de set de 2013

Crus de Beaujolais OS INJUSTIÇADOS


Algumas denominações no mundo do vinho acabam por um motivo ou outro sendo desacreditadas, um dos nomes mais prejudicados que eu conheço certamente é o “Beaujolais”. Neste caso tudo começou pelos resultados nefastos criados pelo famoso projeto “Beaujolais Nouveau”que sem duvida alguma se por um lado aumentou seu  volume de vendas, por outro literalmente tirou esta AOC da linha dos vinhos TOP e tornou seu nome uma referênca de vinho barato para o consumo imediato. Mas todos bons apreciadores de vinho sabem que a verdade desta delicada casta denominada Gamay está nos Crus de Beaujolais , vinhos maravihosos e que hoje em dia pela sua alta qualidade e  pelos seus baixos preços certamente são um dos melhores custos benefícios do mercado mundial de vinhos.
Anthony Collet
 Durante a semana passada tive o grande prazer de junto a outros amigos da mída especializada, participar de uma ação de marketing da “Inter Beaujolais” comandada pelo frances Anthony Collet, ocasião esta em que tivemos a oportunidade de degustar 11 vinhos todos eles elaborados 100% com a variedade Gamay que do total de 36 m hectares plantados no mundo a região de Beaujolais sozinha é responsável por 20,5 m hectares o que acaba colocando no mercado aprximadamente 100 milhões de litros. 

Mas antes de descrever os vinhos provados queria apenas deixar mais claro aos leitores quais são ao AOCs e os seus“Crus” , vamos a elas:
AOC Beaujolais
AOC Beaujolais Village
Brouilly
Régnié
Chiroubles
Côte de Brouilly
Fleurie
Saint-Amour
Chénas
Juliénas
Morgon
Moulin-à-Vent


Vejamos agora aos vinhos provados

1) Laurent Chardigny 2010 – 12,5% de álcool - Violáceo, média concentração sem halo. Frutas frescas. Boa acidez, corpo médio, taninos ralos, leve,  final frutado, Um vinho simples , ótimo para beira de piscina. - Nota  86/100

2)  Levert Férez Beaujolais Village 2009 – 12,5% de álcool - Rubi indo para granada, leve halo de evolução. Frutas vermelhas com ligeira evolução,e banana. Boa acidez, taninos finos, bom corpo e persistência, retrogosto frutado com toque tostado. -  Nota 86/100

3) Chateau de Raousset Chiroubles 2010 - 13% de álcool. Granada, média concentração, leve halo. Frutas vermelhas, framboesa, morango, mineral, grafite. Alta acidez, terroso, taninos presentes, bom corpo, estilo mais  rústico. - Nota 87/100

 4) Louis Jadot Brouilly 2010- 12,5% - Granada, média concentração, sem halo. Frutas azedas, fósforo, ligeiro mineral. Otima acidez, taninos presentes, corpo médio retrogosto vinoso bem agradável. Nota 88/100









5) Domine de la Combe au Loup Régnie 2009 -12,5% de álcool. - Rubi, média concentração, sem halo. Cereja azeda, mineral, coca cola, couro. Boa acidez, bom balanço de boca, taninos intensos, encorpado, persistência longa Vinho com ligeira rusticidade. - Nota 87/100

6) Joseph Drouhin Fleury 2009 – 13% - Rubi, média concentração, sem halo. Floral, fruta azeda, couro, borracha. Ótimo balanço de boca, taninos finos, delicado, elegante, pronto, final de boca frutado. Leve , elegante. - Nota 89/100

7) Clos de La Brosse Saint Amour 2010- 13% de álcool - Granada, ralo, leve halo. Frutas negras maduras, tostado, couro, especiarias, e borracha. Ótima acidez, taninos finos, suculento, ligeira evolução final de boca agradável, fruta e terroso. Vinho bem gastronômico. - Nota 89/100

8) Domine Ruet Côte de Brouilly 2009 - 12,5% de álcool. - Rubi, média concentração, leve halo. Floral, frutas azedas,alcaçuz, toque lácteo, tostado. Macio, balanceado, tripé correto, corpo médio, retrogosto frutado com terra e coca cola. Vinho redondo e leve. - Nota 89/100

9) M Lapierre  Morgon 2011 -12,5% de álcool. - Violáceo, média concentração, sem halo. Floral, frutas vermelhas frescas, pimenta, especiarias, canela. Boca perfeita, acidez correta, taninos finos, corpo médio, retrogosto frutado ponta adocicada. Vinho muito fácil de beber que precisa mais tempo de garrafa para ganhar complexidade. - Nota 90/100







10) Beauvernay Julienas Vieilles Vignes 2009 -13% de álcool. -Violáceo, média concentração, sem halo. Aroma intenso de frutas frescas, pimenta do reino, ervas escuras, e tostado delicado. Na boca , deliciosamente refrescante, taninos disponíveis mas muito delicados, corpo médio, retrogosto apimentado e frutado. Vinho delicioso pronto para beber , que entrega muito. - Nota 91/100







11) Henry Fessy Moulin a Vent 2010 – 13% de álcool. - Violaceo, ralo, sem halo. Frutas azedas, mineral, terroso. Ótima acidez, taninos finos, bom corpo, elegante, tripé perfeito, retrogosto com fruta e toque terroso. Vinho com ótimo balanço de boca. - Nota 90/100









Inter Beaujolaiswww.beaujolais.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário