4 de jul de 2013

Arboleda linha butique da Chadwick

Carolina Herrera 


Eduardo Chadwick é certamente um dos mais bem sucedidos empresarios do mundo do vinho. Arrojado foi um dos pilares da revolução chilena que focou  na produção dos aclamados “Vinhos Ícones do Chile” tendo como objetivo gerar maior valor agregado a seu produtos exportados por este simpatico país irmão. Sucesso absoluto!  Chadwick, Senha , Errazuriz e agora Arboleda são nomes já consagrados no mercado internacional, que é o principal foco de suas empresas. Na semana passada a Expand recebeu Carolina Herrera enóloga responsável pela inteira linha Arboleda criada em 1999 com o objetivo de elaborar vinhos de altíssima qualidade sómente com uvas provenientes do Vale de Aconcagua. A jóvem enóloga também faz parte da equipe responsável pela produção do Ícone “Senha” e mostra em seu curriculum as passagens pela Morandé, Casa Marin no Chile e pelo trabalho realizado no Vale do Loir com o mestre Didier Dagueneau.
Durante nosso encontro pudemos provar os seguintes vinhos:


Arboleda Chardonnay 2011 – 13,5% de álcool , sem passagem por barricas. – R$ 98,00  – Palha verdeal bem leve,brilhante . - Forte aroma de ervas escuras tais como a arruda, mineral, pimenta branca e goiaba. Na boca acidez correta, ligeira tanicidade, estruturado, final de boca fresco com ervas e ligeiro salgado.  Vinho branco de boa estrutura marcado pelos aromas verdes. Nota 87/100






Arboleda Pinot Noir 2011 – 14% de álcool com passagem de 12 meses em barricas francesas sendo 25% novas. – R$125,00 – Rubi, ralo, sem halo. Olfativamente trazendo boa tipicidade, cereja azeda, couro, sottobosco, e uma pontinha de sândalo. Na boca ótima acidez, suculento, taninos finos, ligeira ponta de álcool, retrogosto frutado e tostado. Um ecelente PN com boa estrutura,e frecor mas que precisa de tempo de garrafa. Nota 88/100





Arboleda Carmenére 2010 – 14% de álcool e passagem de 12 meses em barricas francesas e americanas.- R$ 98,00  – Rubi extra tinto, sem halo. Herbáceo, frutas negras maduras com ligeiro dulçor, e ponta de aniz. Na boca boa acidez, taninos finos , quente, encorpado, com retrogosto super frutado e ligeiro amargor. Um vinho para os apreciadores desta casta, e do o estilo mais novomundista. Nota 86/100






Seña 2007 – Corte com 57% Cabernet Sauvignon, 20% Carmenere, 12% Merlot, 6% Cabernete Franc, e 5% Petit Verdot, com 14,5% de álcool com passagem de 22 meses por barricas novas francesas.R$ 498,00 – Rubi, média concentração, sem halo. Frutas vermelhas maduras, pimenta preta, grafite, menta, ligeiro tabaco. Na boca , tripé correto, corpo médio para amplo, leve ponta de alcool, retrogosto frutado com agradavel tostado. Um ótimo vinho ainda jóvem mas foi o melhor Seña que tomei até hoje . 91/100







Expand – Site www.adegaexpand.com.br   Fone (011) 3017-3000

Nenhum comentário:

Postar um comentário