15 de nov de 2011

Wine Society muda seu perfil


Na semana passada visitei a Wine Society a convite de seu diretor Ari Gorenstein para provar alguns vinhos de seus novos produtores espanhóis, que hoje se tornaram uma origem bastante importante dentro desta importadora. Na última vez que estive em sua gostosa sede em Moema, lembro que me foi dito que a idéia da importadora ser reconhecida apenas como uma especialista em vinhos Australianos perdia força e que eles negociavam novas origens. Bem o resultado está aí, a loja tem hoje vinhos de diversas origens de importação própria e exclusiva, e se tornou também uma loja multi marcas o que a torna extremamente atrativa por sua variedade de rótulos. Em minha visita tive a oportunidade de provar três produtores diferentes:

Palacio de Bornos da região de Rueda que iniciou suas atividades em 1870 tendo a frente a família Sanz que já está em sua 5ª geração e que se destaca pelo seu patriarca Antonio Sanz, apelidade de “El Mago”que com sua criatividade deu grande destaque a esta bodega, tendo sido o primeiro produtor a elaborar vinho branco fermentado em barricas na região.

Piedra Bodega e Viñedos da região de Toro jovem bodega que iniciou suas atividades em 1968 mas que possua a maior parcela de vinhedos velhos desta região, com algumas parreiras já centenárias ainda de “Pé franco”. Pertence a família Stein e que trabalha unicamente com as variedades Tinta Del Toro (Tempranillo) , Garnacha e Verdejo.

Venos La Universal da região da Catalunha, DO Montsant, muito jovem bodega fundada em 1999 por Sara Perez e José Luiz Perez proprietários da conceituada bodega Mas Martinet do Priorato, focada na elaboração vinhos de alta cgama com cortes de uvas tintas.

Meus destaques:

Palacio de Bornos Verdejo Fermentado 2009- Varietal 100% Verdejo com 13,5% de álcool fermentado em barricas e com maturação de 4 meses em carvalho. R$ 55,00. Dourado, alta concentração de cor, com lagrimas intensas e lentas. Olfativamente muito complexo, Mineral, petrolato, frutas brancas maduras, delicado tostado, lácteo e baunilha. Na boca, ótima acidez, untuoso, longo, com final de boca fresco e retrogosto trazendo, lácteo e uma leve lembrança de Jerez. Um vinho marcante, me lembrou alguns bons Alabariños barricados que tanto me agradam. Nota 86/100





Dido Monsant  2008 – Corte de Garnacha, Merlot,Cabernet Sauvignon,e Syrah com 14% de álcool e maturação de 40% em tanques de cimento e 60% em barricas francesas por 9 meses. – Rubi, alta concentração, sem halo. Olfativamente complexo, frutas negras, floral, couro, especiarias, tostado e mentol. Na boca, tripé perfeito, taninos presentes e finos, corpo e persistência longa e retrogosto frutado, muito macio. Um vinho que me encantou e que realmente gostaria de toma-lo daqui uns 4 anos quando deve atingir seu ápice. Nota 89/100





Wine Society – Av Lavandisca 519 Moema – Fone (011) 27680648
 – site ww.winesociety.com.br 


Nenhum comentário:

Postar um comentário